Sexta, 23 Julho 2021

Notícias Gerais

Levantamento da plataforma Catho mostra que pandemia impulsionou procura por profissionais do setor.


 O estado de São Paulo registrou crescimento de até 671% em 2020 nas vagas do setor de tecnologia, segundo levantamento da Catho.

 

Segundo a pesquisa, que compara a abertura de vagas de 2020 com 2019, os cargos que mais tiveram maior crescimento na oferta de vagas foram cientista de dados (671%), desenvolvedor.NET (517%), devOps (460%), web developer (97%) e programador ADVPL (60%).

Para Eber Duarte, diretor de tecnologia da Catho, o aumento na procura por profissionais mesmo em meio à pandemia é reflexo da transformação digital vivenciada por empresas de diversos segmentos que atuam na cidade e estado.

"Nesta mudança para o digital, o profissional de tecnologia é imprescindível. É ele quem irá conduzir esse processo, que pode ser desde a criação de um site que irá permitir que lojas físicas se tornem e-commerces até a otimização e automação de processos internos que possibilitam a eficiência operacional das companhias. E este movimento não deve terminar num cenário pós-pandemia. É uma tendência que veio para ficar."

Conheça abaixo os cinco cargos em tecnologia que mais cresceram no estado de São Paulo no último ano:

  • Cientista de dados (671%): Essa área tem ganhado cada vez mais destaque, uma vez que o maior ativo das empresas hoje são os dados, e é de interesse do negócio saber padrões de comportamento de seus clientes, produtos e serviços. Cabe a esse profissional reunir, interpretar e comunicar toda informação relevante contida em toneladas de dados que as empresas armazenam, e dar a eles valor e relevância.
  • Desenvolvedor.NET (517%): O profissional é responsável por planejar, codificar, depurar e testar sistemas utilizando a linguagem .NET. Ou seja, participa de todo o ciclo de desenvolvimento de websites e aplicações .NET.
  • DevOps (460%): Esse profissional atua próximo ao time de desenvolvimento de softwares, ampliando o conhecimento dos desenvolvedores sobre infraestrutura. Na prática, é o profissional que trabalha construindo mecanismos que buscam trazer mais confiabilidade e qualidade para os sistemas.
  • Web Developer (97%): Realiza o desenvolvimento técnico e visual de páginas da internet e manutenção de sites, definindo linguagens, bancos de dados, armazenamento e atualização de informações, a fim de atender o volume de internautas e seu correto funcionamento.
  • Programador ADVPL (60%): Programa e desenvolve em sistema ADVPL, codifica e testa sistemas. Executa a manutenção dos sistemas, fazendo eventuais correções necessárias, visando atender às necessidades dos usuários. Desenvolve trabalhos de montagem, depuração e testes de programas, executando serviços de manutenção nos programas já desenvolvidos.

 

Depois de quase 7 meses longe das escolas, o ano se inicia com um pouco menos de incerteza após o anúncio dos governos estaduais com relação à volta às aulas presenciais em 2021.

Segundo um levantamento feito pelo site de notícias Uol junto às Secretarias de Educação, ao menos 15 redes públicas de ensino estaduais já têm previsão de quando os estudantes poderão retornar às salas de aula. As regras não se aplicam para a rede privada, que, em alguns estados, possuem medidas mais flexíveis.

De maneira geral, quase todos os estados planejam um retorno entre os meses de janeiro e março, com exceção do Amapá, Amazonas, Bahia, Pará, Rondônia e Roraima, que ainda não definiram uma data exata para o início do calendário escolar.

Com relação ao formato utilizado, grande parte das Secretarias de Educação optaram pelo modelo híbrido de ensino, que mescla aulas presenciais e remotas. Nos locais em que o retorno dos alunos e professores ao ambiente escolar já está determinado, as escolas precisarão seguir protocolos e orientações sanitárias contra a Covid-19.

Veja no gráfico abaixo a previsão de volta às aulas em 2021, por estado:

Mapa mostra o plano de volta às aulas 2021 ao redor do Brasil, após quase 300 dias sem atividades presenciais.

Fonte: Melhor Escola/Uol

 

Volta às aulas 2021 em detalhe ao redor do Brasil

  • Acre (AC)
    A volta às aulas está prevista para março. Em entrevista concedida ao Jornal Acre, o Secretário Estadual de Educação, Mauro Sérgio, confirmou que, no primeiro momento, as escolas usarão o modelo híbrido de ensino. Neste contexto, as turmas serão divididas por listas de chamadas, evitando aglomeração e garantindo o distanciamento entre os alunos. As aulas presenciais só terão início em maio de 2021, mês que representa o início do ano letivo de 2021 no estado. 

  • Alagoas (AL)
    A rede pública estadual retomará as aulas presenciais a partir de 1º de março. Segundo o governador Renan Filho, pelo menos 30% dos estudantes das escolas públicas poderão frequentar as salas de aula. As escolas particulares, por sua vez, podem iniciar suas atividades presenciais a partir do dia 21 deste mês, com pelo menos 50% da capacidade.

  • Amapá (AP)
    Depois de um ano conturbado, marcado pela pandemia de Covid-19 e um apagão que durou 22 dias, o estado não tem data exata para a volta às aulas presenciais, mas a previsão é de que isso ocorra em 2021.

  • Amazonas (AM)
    Devido ao agravamento da pandemia de Covid-19 no estado, ontem, 24 de janeiro, o Ministério Público do Amazonas (MPAM) enviou ao Governo do Estado uma recomendação para que o retorno das aulas presenciais ou semipresenciais aconteça somente após a vacinação dos profissionais de educação. O direcionamento é que a volta às aulas aconteça de maneira remota até que a situação esteja estabilizada. 

  • Bahia (BA)
    O estado ainda não divulgou o calendário do ano letivo de 2021. No dia 05/01, terça-feira, o governo da Bahia prorrogou o decreto que suspende as aulas das escolas públicas e particulares até o dia 15 de janeiro. Governantes pretendem se reunir, ainda essa semana, para discutir a retomada das atividades presenciais.

  • Ceará (CE)
    No Ceará, a volta às aulas está prevista para fevereiro, combinando o modelo físico e virtual. De acordo com a Secretária de Educação do estado, Eliana Estrela, o retorno será gradual, por série, e contará com o rodízio de estudantes.

  • Distrito Federal (DF)
    A Secretaria de Educação definiu que o ano letivo de 2021 terá início em 8 de março e vai até dia 22 de dezembro. A decisão sobre o formato dependerá da situação da pandemia nos meses de janeiro e fevereiro. Ao longo do ano, haverá aulas de reposição aos sábados. As escolas particulares, por sua vez, estão autorizadas a utilizar o ensino híbrido ou o presencial.
  • Espírito Santo (ES)
    Ainda sem formato definido, a volta às aulas no Espírito Santo está prevista para o dia 04 de fevereiro. No estado, o ano letivo terá um total de 204 dias, e contará também com aulas de recuperação. No dia 14 de janeiro, as secretarias de Educação da Grande Vitória (Vitória, Cariacica, Serra e Vila Velha) se reuniram e decidiram adiar o retorno das aulas presenciais na rede municipal de ensino.

  • Goiás (GO)
    Segundo a Secretaria de Educação de Goiás, a retomada das aulas presenciais terá início no dia 25 de janeiro, em sistema de rodízio, com 30% da capacidade total. A prioridade será para os estudantes do 2º e do 3º ano do Ensino Médio, do 9º ano do ensino fundamental e também aos alunos que não possuem acesso à internet.

  • Maranhão (MA)
    A volta às aulas ainda não possui formato definido, mas, de acordo com o secretário estadual de Educação, Felipe Camarão, as escolas provavelmente utilizarão o modelo híbrido.

    O retorno das atividades presenciais terá início no dia 08 de fevereiro, iniciando com os alunos de escolas de período integral e do Instituto Estadual de Educação, Ciência e Tecnologia do Maranhão (IEMA). No dia 22 do mesmo mês, os estudantes do 2º e do 3º ano do Ensino Médio também retornam. As demais séries só poderão iniciar suas atividades após o término do ano letivo de 2020.

  • Mato Grosso (MT)
    A volta às aulas presenciais na rede estadual de ensino estavam previstas para o dia 1º de fevereiro. Entretanto, devido ao aumento no número de casos de Covid-19, o Governo de Mato Grosso decidiu mudar o formato de aulas, adotando o modelo remoto (on-line ou através de apostilas). 

  • Mato Grosso do Sul (MS) 

    Na rede municipal, a volta às aulas está prevista para fevereiro, enquanto na estadual, o retorno acontecerá em março. A  Secretaria Estadual de Educação (SED) já definiu que, inicialmente, as aulas acontecerão online. 

  • Minas Gerais (MG)
    O ano letivo está marcado para começar no dia 4 de março na rede de ensino estadual, entretanto, o governo do estado não confirmou a volta das atividades presenciais.

  • Pará (PA)
    O estado ainda não anunciou uma data exata para a retomada das aulas em 2021.

  • Paraíba (PB)
    A previsão é que o retorno da rede pública aconteça no dia 18 de fevereiro, ainda sem formato definido. Já na rede privada, 730 escolas particulares da Paraíba devem voltar a funcionar no dia 8 de fevereiro, utilizando o ensino híbrido. A informação é do presidente do Sindicato das Escolas Particulares (Sinepe), Odésio Medeiros.

    • Paraná (PR) 

    • Pernambuco (PE)
      A volta às aulas em Pernambuco está prevista para 3 de fevereiro na rede estadual de ensino.

    • Piauí (PI)
      As escolas particulares e públicas foram autorizadas a definir as datas de retorno a partir de 1º de janeiro, desde que apresentem um plano de retomada que inclua medidas e orientações sanitárias. As aulas deverão acontecer em formato híbrido em todas as etapas de ensino, mas o Ensino Infantil poderá funcionar de modo 100% presencial.

      As aulas na rede estadual de ensino estão marcadas para o dia 25 de janeiro, inicialmente, de modo remoto.

    • Rio de Janeiro (RJ)
      Conforme o calendário da Secretaria de Estado de Educação (Seeduc), divulgado no dia 23 de dezembro, o início do ano letivo de 2021 acontecerá no dia 8 de fevereiro. O documento prevê que as aulas aconteçam na modalidade híbrida, ou seja, presencial e remota.

    • Rio Grande do Norte (RN)
      A retomada das aulas presenciais no estado acontece no dia 1º de fevereiro, adotando protocolos e medidas sanitárias de segurança, para concluir o ano letivo de 2020. Os conteúdos referentes ao ano de 2021 passarão a ser lecionados a partir de março.

    • Rio Grande do Sul (RS)
      O calendário escolar estadual de 2021 começa em 8 de março, dando continuidade ao modelo híbrido, implementado durante a pandemia. Segundo a Secretaria Estadual de Educação do Rio Grande do Sul, o retorno será de forma escalonada, iniciando pelos alunos dos anos iniciais do Ensino Fundamental. No dia 11, retornam os estudantes do Ensino Fundamental II, e, por último, no dia 15, os alunos do Ensino Médio e Técnico. 

    • Rondônia (RO)
      Ainda não há previsão para a volta às aulas presenciais na rede pública de ensino do estado, porém, acredita-se que as atividades serão retomadas de maneira remota em 2021.

    • Roraima (RR)
      Em Roraima, alguns colégios particulares de Boa Vista retomarão suas atividades em ambiente escolar a partir do dia 18 de janeiro. Em entrevista para o Jornal de Roraima, ontem (07 de janeiro), a secretária de Educação, Leila Perussolo, disse que ainda não há previsão para o retorno das aulas na rede pública. A definição, bem como o formato utilizado, será definido em conjunto com os professores no final de janeiro.

    • Santa Catarina (SC)
      O governo do estado prevê o retorno das aulas para o dia 18 de fevereiro, com escala de alunos. Nas regiões de alto risco para Covid-19, as escolas poderão receber somente 50% da capacidade total de alunos nas atividades presenciais. Nas áreas de menor risco, não haverá limitação, porém os estudantes e funcionários deverão respeitar as regras de distanciamento.

    • São Paulo (SP)
      O governador João Dória adiou a volta às aulas na rede estadual do estado para o dia 8 (oito) de fevereiro, segunda-feira. Para as escolas particulares, o retorno continua programado para o dia 1º.

      Durante as fases vermelha e laranja, o rodízio de alunos com 35% da capacidade total segue valendo para as instituições de ensino públicas e privadas, entretanto, ao contrário do que foi dito antes, as famílias poderão escolher se enviam ou não os seus filhos para as aulas presenciais.

      • Sergipe (SE)
        As aulas presenciais nas escolas estaduais de Sergipe estão previstas para começar no dia 22 de março. Na rede particular, os estudantes do Ensino Médio poderão retornar em janeiro. A retomada das demais séries, tanto na rede particular quanto na pública, será definida pelos prefeitos de cada cidade.

      • Tocantins (TO)
        Na rede municipal, o início do ano letivo está previsto para o dia 2 de fevereiro, com apenas 25% dos estudantes por sala de aula. Dependendo da situação da pandemia, as atividades serão híbridas. 

        Volta às aulas nas escolas particulares

        Na rede privada de ensino, a data de início das aulas muda de estado para estado. A Federação Nacional de Escolas Particulares (FENEP), elaborou um mapa de retorno das atividades presenciais no Brasil, que pode ser visualizado aqui.

        A instituição realizou ainda, um plano com protocolos de saúde e orientações pedagógicas, a fim de auxiliar as escolas particulares na volta às aulas em meio à pandemia. Dentre eles, estão:
      • Organizar sua estrutura operacional para que seus alunos mantenham uma distância
        de 1m²
         entre eles e as demais pessoas;

      • Uso obrigatório de máscaras;

      • Disponibilizar álcool em gel 70% em todos os ambientes do estabelecimento;

      • A instituição de ensino deverá priorizar o formato de ensino remoto, promovendo gradualmente a adoção de atividades educacionais presenciais de forma segura;

      • A escola deverá desenvolver um plano de trabalho domiciliar para os estudantes do grupo de risco, ou àqueles que não se sintam confortáveis para comparecer às aulas presenciais; 

      • As instituições de ensino deverão desenvolver um plano de trabalho remoto para que professores e demais colaboradores que se encontrem no grupo de risco possam desenvolver suas atividades.

        No site do Quero Bolsa, os familiares podem verificar quais escolas estão matriculando normalmente, e quais oferecem aulas online. O portal permite também que as famílias encontrem instituições ao redor do Brasil que possuem bolsas de estudo, desde o Ensino Infantil até o Ensino Médio. 

Ampliação se dá devido às dificuldades para renovação de frota em razão da pandemia

ADAMO BAZANI

As vans e micro-ônibus que operam linhas regulares da RTO (Reserva Técnica Operacional) e o Ligado (transporte de pessoas com mobilidade reduzida) que estão prestes a vencer poderão circular por mais um tempo.

Resolução STM-3, da Secretaria dos Transportes Metropolitanos do Estado de São Paulo, publicada oficialmente neste sábado, 23 de janeiro de 2021, altera o artigo 20 de uma resolução de 2011 e, com isso, amplia a idade máxima permitida dos veículos.

No caso do SEC (Serviço Especial Conveniado), que é o Ligado, a idade máxima das vans passa de oito anos para dez anos.

Já no caso das vans e micro-ônibus da RTO, que fazem o serviço regular, o máximo permitido passa a ser de oito anos. Antes, eram sete anos.

A resolução é publicada no momento em que os donos dos veículos se queixam de dificuldades financeiras por causa da queda de demanda em decorrência da pandemia de covid-19.

As novas idades permitidas passam a valer a partir deste sábado (23).

A RTO (Reserva Técnica Operacional) surgiu em 2006 quando as áreas operacionais da Grande São Paulo foram criadas na licitação do sistema metropolitano gerenciado pela EMTU (Empresa Metropolitana de Transportes Urbanos). Apenas a Área 5, correspondente ao ABC Paulista, não foi licitada por interferência de empresários de ônibus da região. A RTO é originária da chamada ponte ORCA (Operador Regional de Coletivo Autônomo), que por sua vez foi criada em agosto de 1999.

A RTO é prestada por donos autônomos de vans e micro-ônibus em trajetos que são operados por empresas de ônibus também, havendo alternância entre os horários.

A ORCA e depois a RTO teve o objetivo de regularizar o transporte clandestino que já existia nestas ligações. Só há RTO na Grande São Paulo.

Já o Ligado (Serviço Especial Conveniado – SEC) é operado também por autônomos e de destina ao transporte de pessoas com deficiência, em especial, para estudantes.

O custeio do serviço é da Secretaria de Educação.

As operações ocorrem por meio de um convênio firmado entre a EMTU/SP e a Secretaria de Estado da Educação (SEDUC), por isso o nome serviço especial conveniado.

As vans são acessíveis e motoristas e auxiliares precisam ter um treinamento especial para o trabalho.

presidente dos Estados Unidos, Joe Biden, irá reimpor a partir de amanhã a proibição de entrada a quase todos os viajantes não americanos que estiveram no Brasil, Reino Unido, Irlanda e 26 países da Europa, disseram autoridades de saúde pública dos EUA à agência Reuters.

O então presidente Donald Trump ordenou em 18 de janeiro que as restrições ao Brasil e à Europa fossem suspensas na terça-feira, mas a proclamação de Biden rescindirá essa decisão.

Biden, que assumiu o cargo na quarta-feira, está adotando uma abordagem agressiva para combater a propagação do vírus em viagens depois que Trump rejeitou as ordens solicitadas pelas agências de saúde dos EUA.

Cidadãos não americanos que estiveram recentemente na África do Sul também sofrerão restrições a partir do próximo sábado, buscando conter a propagação de uma nova variante da covid-19. Autoridades de saúde estão preocupadas que as vacinas atuais possam não ser eficazes contra a nova cepa, o que também aumenta a perspectiva de reinfecção.

A variante sul-africana, também conhecida como variante 501Y.V2, é 50% mais infecciosa e foi detectada em pelo menos 20 países. Funcionários do CDC (Centro de Controle e Prevenção de Doenças) disseram que estariam abertos para adicionar outros países à lista, se necessário.

A variante sul-africana ainda não foi encontrada nos Estados Unidos, mas pelo menos 20 estados americanos detectaram uma variante do Reino Unido conhecida como B.1.1.7. As vacinas atuais parecem ser eficazes contra as mutações do Reino Unido.

Pedidos do CDC

A diretora do CDC dos EUA, Rochelle Walensky, assinará um pedido separado na segunda-feira exigindo máscaras em todos os aviões, balsas, trens, metrôs, ônibus, táxis e veículos compartilhados, disseram as autoridades. Os novos requisitos devem entrar em vigor nos próximos dias, acrescentaram.

Na terça-feira, as novas regras do CDC entrarão em vigor exigindo que todos os viajantes internacionais de 2 anos ou mais apresentem um teste de coronavírus negativo feito dentro de três dias corridos da viagem ou prova de recuperação da Covid-19 para entrar nos Estados Unidos.

O CDC não irá, como disse em 12 de janeiro, considerar a concessão de isenções temporárias às companhias aéreas para isentar alguns viajantes de países com capacidade de teste limitada. Numerosas companhias aéreas dos EUA solicitaram dispensas ao CDC na semana passada, disseram funcionários de companhias aéreas.

Mas funcionários do CDC disseram que considerariam isenções humanitárias caso a caso para alguns viajantes, se necessário.

Funcionários do CDC observaram que 120 países atualmente têm requisitos de teste para Covid-19 obrigatórios para viagens internacionais. 

O pedido do CDC diz que os viajantes devem ficar em quarentena por sete dias após o retorno aos Estados Unidos e considerar fazer um novo teste dentro de três a cinco dias após o retorno aos Estados Unidos, disseram autoridades do CDC

Funcionários do CDC discutiram durante semanas a possibilidade de adicionar esses requisitos de teste antes dos voos domésticos nos Estados Unidos ou exigir testes no retorno de uma viagem internacional, mas não tomaram nenhuma decisão

As restrições americanas que impedem a maioria dos visitantes da Europa estão em vigor desde meados de março, quando Trump assinou proclamações que as impõem, enquanto a proibição de entrada do Brasil foi imposta em maio. A restrição, junto com as novas medidas relacionadas à África do Sul, significa que a maioria dos cidadãos não americanos que estiveram em um desses países nos últimos 14 dias não estão qualificados para viajar para os Estados Unidos.

 

A cobrança do Imposto sobre a Propriedade de Veículos Automotores (IPVA) referente a 2021, para pessoas com deficiência que já tinham isenção de recolhimento no exercício de 2020, foi suspensa pelo Tribunal de Justiça do Estado de São Paulo (TJ-SP) na noite de ontem (22). O governo do estado de São Paulo informou que, assim que for intimado, a Procuradoria-Geral tomará as providências.

O relator da ação civil pública ajuizada pelo Ministério Público de São Paulo (MP-SP) contra a Fazenda do Estado de São Paulo, juiz Nogueira Diefenthaler, reconheceu "aparente violação ao princípio constitucional da isonomia", concedendo a liminar.

Conforme explicitou o MP, as alterações promovidas por lei estadual estabelecem que deficientes graves e severos, mas que podem conduzir seu veículo, só terão direito à isenção se tiverem um carro individualmente adaptado. Já os deficientes não condutores podem ter isenção do veículo sem adaptação.

Segundo alegou o órgão, cria-se uma distinção ilegal entre pessoas com deficiência não condutoras e com deficiência grave e severa condutoras. Dentre as condutoras, haveria ainda a distinção de concessão da isenção entre aqueles que precisam de adaptações individuais e os que não precisam. Com isso, aqueles condutores que não tiverem veículos adaptados, incluindo os que contenham, por exemplo, apenas câmbio automático e direção hidráulica ou elétrica de fábrica, não estariam contemplados pela isenção.

"A diferenciação ilegal, ferindo, entre vários outros, o princípio da igualdade tributária, trata como fato gerador da tributação ou da isenção não a condição vulnerável do contribuinte deficiente, mas o tipo de adaptação implementada no veículo", argumentou o MP.

Na decisão, Diefenthaler ressalta que a nova regra cria "discriminação indevida entre os motoristas com deficiência, em prejuízo daqueles que têm deficiência grave ou severa mas que não necessitam de veículo adaptado"

A Secretaria da Fazenda e Planejamento informou que as pessoas com deficiência física severa ou profunda, cujo veículo necessite de adaptação, continuam a ter direito à isenção de IPVA, bem como autistas e as pessoas com deficiência física, visual e mental, severa ou profunda, não condutoras.

"O governo do estado promoveu alterações nas regras para concessão de IPVA-PCD para garantir o direito de quem realmente precisa. Nos últimos quatro anos, o número de veículos com isenção cresceu de 138 mil para 351 mil, um aumento de mais de 150%, enquanto o crescimento da população com deficiência no estado cresceu apenas 2,1% no mesmo período, segundo levantamento da Secretaria da Pessoa com Deficiência", diz nota da secretaria.

Segundo a pasta, o valor arrecadado com o imposto é fundamental para cobrir o impacto causado pela pandemia no orçamento do governo do estado e dos municípios paulistas, além da manutenção do Fundo de Manutenção e Desenvolvimento da Educação Básica (Fundeb), que recebe 20% dos recursos.

Fonte: Agência Brasil 

BANNER LATERAL

,

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Fique por dentro do que acontece em COTIA, BARUERI, ITAPEVI, IBIÚNA, VARGEM GRANDE PAULISTA E NO BRASIL.

Siga-nos!