Sexta, 23 Julho 2021

Notícias Gerais

 
Quinta-feira, 17 de dezembro. Voltamos no tempo: estamos na casa de mais de 1.000 mortes diárias por Covid-19 e 16 estados, além do Distrito Federal, estão com tendência de alta.
De acordo com o Globo, o quadro de Covid-19  ontem, 17/12, às 19 horas, em todo o Brasil, era este:
Total de mortes: 184.876
Registro de mortes em 24 horas: 1.054
Média de novas mortes nos últimos      7 dias: 725 (variação em 14 dias: +27%)
Total de casos confirmados: 7.111.527
Registro de casos confirmados em      24 horas: 68.832
Média de novos casos nos últimos 7      dias: 46.855 por dia (variação em 14 dias:      +10%)
Deposita-se então a esperança nas vacinas, que são várias em desenvolvimento:
- Coronavac, desenvolvida pelo Instituto Butantã, que utiliza o vírus inativado;
- AstraZêneca e Oxford desenvolvida em parceria com a Fiocruz, que utiliza adenovírus
- Janssen, que não será produzida no Brasil, que também utiliza adenovírus e
- Pfizer
- Moderna, que são vacinas de RNA.
Mas a vacina não acabará com a pandemia de uma hora para outra.
Primeiro, porque o início da vacinação está previsto para 25 de janeiro, daqui a mais ou menos trinta dias, e deverá seguir as seguintes fases:
Fase 1
Profissionais da Saúde, indígenas e quilombolas.
Primeira dose em 25 de janeiro.
Fase 2
Pessoas com 75 anos ou mais.
Primeira dose em 8 de fevereiro.
Fase 3
Pessoas com 70 a 74 anos.
Primeira dose em 15 de fevereiro.
Fase 4
Pessoas com 65 a 69 anos.
Primeira dose em 22 de fevereiro.
Fase 5
Pessoas com 60 a 64 anos.
Primeira dose em 1º de março.
Segundo,  porque a politização da vacina ainda continua. Depois de marchas e contramarchas, a Anvisa (leia-se Bolsonaro) resolveu reconhecer a existência da Coronavac, desenvolvida pelo Governo de São Paulo.
Essa politização desestabiliza as pessoas. Em todos os países, os líderes nacionais (leia-se presidentes e primeiros ministros) tomam a frente ao combate à pandemia.
No Brasil, ao contrário, Bolsonaro afirma que não tomará a vacina e chamou de “idiota” quem o vê como mau exemplo por não se imunizar, declarando ainda que é uma “irresponsabilidade” tratar com correria uma questão de pode salvar ou ter efeito colateral.
Aí entra a judicialização da questão de vacina, coisa inimaginável num país de primeiro mundo (mas não somos, estamos entre os terceiros e olha lá): o STF, provocado, por 10 votos a um autorizou a aplicação de medidas restritivas a quem se recusar a se vacinar.
O argumento do ministro Lewandowski é que a saúde pública não pode ser prejudicada por pessoas que deliberadamente se recusam a ser vacinadas – mas descarou a vacinação forçada das pessoas, sem seu consentimento, por ser inconstitucional.
Se o Supremo autoriza medidas restritivas contra quem não tomar a vacina, Bolsonaro responde: não adotará nenhuma medida restritiva contra quem se recusar a tomar a vacina; que não irá tomar uma posição que vai na contramão daquilo que ele (presidente) é ou pensa e que o STF entrou numa bola dividida porque não vai ter vacina para todo mundo”.
Ponto a favor do presidente: liberou 20 bilhões de reais para a imunização. Não vai dar, mas é um bom começo.
Assim segue a queda de braço, entre Bolsonaro, os governadores, os prefeitos e agora a Justiça, que autorizou que estados e municípios importem vacinas usadas em outros países, se a Anvisa não liberar as vacinas nacionais em até 72 horas.
O povo, no meio desse fogo cruzado, fica perplexo: tomar ou não a vacina ?
De qualquer forma, conforme o cronograma que colocamos no início, a vacinação se iniciará em 25 de janeiro e, até março, se restringirá aos grupos de risco ali indicados. 
Depois o povo será imunizado em massa – se houver vacina para todo mundo.
Por enquanto, cautela: máscara, isolamento e distanciamento social são as prevenções disponíveis. Falando nisso, além a prefeitura de S. Paulo cancelou o Reveillon virtual e, se você for à praia, confira antes sobre as barreiras sanitárias que estão sendo impostas pelas várias cidades do nosso litoral.
Se você quiser saber quando você será vacinado, pela tabela do Ministério da Saúde, acesse o site https://infograficos.oglobo.globo.com/sociedade/fila-vacina-coronavirus.html?utm_source=globo.com&utm_medium=oglobo– lá tem um questionário e, ao final, você saberá qual o seu lugar na fila de vacinação.
Eita, Brasil !!!
(Foto: fiscalização no litoral de S. Paulo)

O governo italiano estuda a possibilidade de classificar todas as regiões do país como zona vermelha de risco de transmissão do coronavírus Sars-CoV-2 no período em que são celebradas as festas de Natal e Ano Novo.

 A medida, que ainda não foi confirmada, é um dos temas debatidos hoje durante cúpula entre as autoridades italianas.
 
A hipótese é implementar a faixa vermelha em toda a Itália, o que prevê regras que incluem o fechamento do comércio não essencial e proibição de sair de casa a não ser por motivos de trabalho ou urgentes, nos dias 24, 25, 26, 27 e 31 de dezembro e 1, 2 e 3 de janeiro de 2021.
 
Segundo fontes oficiais, a discussão ainda está "completamente aberta", porém, não está excluída que a área vermelha também se aplique no dia 6 de janeiro, data em que é celebrado o "Dia de Reis", chamado também de "Epifania do Senhor", ou que as regras da zona laranja sejam introduzidas para todo o período.
 
Caso a última possibilidade seja aprovada, as regiões terão que proibir deslocamentos interregionais e intermunicipais, a não ser por motivos de trabalho ou saúde. Nessas áreas, no entanto, é permitido sair de casa sem motivo, mas restaurantes também têm de suspender serviços de mesa.
 
As novas restrições, porém, estão provocando um impasse entre os representantes dos governos, já que o tema divide o debate.
 
"A Itália estabeleceu regras para si mesma, estabelecendo as zonas de risco amarela, laranja e vermelha. Acredito que com esse método devemos continuar. Acho que é certo ter cuidado onde o vírus está causando grandes danos e se houver necessidade de novos fechamentos. Mas acho que o princípio das zonas está certo, digo não às regras uniformes, temos de dar fôlego aos cidadãos", afirmou o governador da Ligúria, Giovanni Toti.
 
De acordo com o primeiro-ministro da Itália, Giuseppe Conte, o governo está "trabalhando para tentar reforçar o plano de Natal" para "chegar em uma condição de resiliência máxima".
"As medidas estão funcionando até agora, mas estamos preocupados - e até mesmo os especialistas - com as situações de confraternização dos últimos dias. Faremos algumas intervenções adicionais", antecipou o premiê.
 
Em entrevista à imprensa italiana, Conte ainda comentou sobre a vacinação contra a Covid-19 e defendeu que "seria bom ter uma data única nos países europeus, uma espécie de 'Dia da Vacina'"
 
"Espero que seja no início de janeiro, mas para ter um impacto na população é necessário atingir uma porcentagem suficiente de vacinados"
 
O primeiro-ministro italiano espera que o país vacine entre 10 e 15 milhões de pessoas até o final da primavera na Europa.
 

A prefeitura de Itapevi está com 1,5 mil vagas para castrações de cães e gatos. O cadastro deve ser feito no site http://castracao.itapevi.sp.gov.br/ já pode ser feito pelo site. Após a inscrição, agentes da secretaria de Meio Ambiente e Defesa dos Animais entram em contato para fazer o agendamento, por isso, é importante que os contatos fornecidos estejam corretos e possam receber ligação em horário comercial. O tempo médio de espera é de até 90 dias. Por ser um consultório adaptado, são realizadas cirurgias em pets com até 15 quilos e sem raça definida. O programa gratuito não contempla animais de raça. As novas cirurgias serão realizadas a partir da segunda quinzena de janeiro. Em 2020, o castramóvel realizou 4.023 cirurgias gratuitas de castração de cães e gatos. O serviço teve início em fevereiro, com o ônibus adaptado como consultório veterinário itinerante. O serviço tem como objetivo controlar a população animal.

O Brasil ganhará mais um ponto de conexão de internet de alta velocidade com a Europa. Um cabo submarino de fibra óptica ligará as cidades de Fortaleza, no Ceará, a Sines, em Portugal, e permitirá o tráfego de dados de 72 terabits por segundo e latência de 60 milissegundos.

A ancoragem do cabo aconteceu nesta segunda-feira (14), na Praia do Futuro, e o projeto tem expectativa de conclusão para meados de 2021. Segundo o Ministério das Comunicações, o cabo ainda se estenderá para pontos no Rio de Janeiro e em São Paulo, além de conexões na África e em outros países europeus, ilhas do Atlântico e Guiana Francesa.

Segundo o ministro das Comunicações, Fábio Faria, a capacidade de transmissão de dados será 7 mil vezes maior que a atual: “a iniciativa vai nos preparar para receber o 5G”. Imagem: Cléverson Oliveira/MC

“Temos hoje um cabo que já faz essa conexão, mas de voz, entre Brasil e Europa, que passa pelos Estados Unidos, mas que já tem mais de 20 anos. A vida útil de um cabo de fibra óptica que faz esse tipo de tráfego, ele tem uma durabilidade em torno de 25 anos”, explica o ministro das Comunicações, Fábio Faria.

 

A instalação do cabo submarino será feita por uma empresa privada, a Ellalink, e custará R$ 1 bilhão. O cabo tem 6 mil quilômetros de extensão, podendo chegar a 5 quilômetros de profundidade em alguns locais. Atualmente, a comunicação entre Brasil e Europa passa antes pelos Estados Unidos, o que dobra o caminho percorrido: 12 mil quilômetros.

rasil é um dos países que mais produz dados no mundo, e com o 5G nós teremos um aumento ainda maior. Então, nós precisamos de escoamento”, completa Faria.

Entenda a importância dos cabos submarinos

É bastante provável que você já tenha ouvido falar de cabos submarinos. Eles são usados em trechos de mar para ligar estações terrestres e, assim, transmitir sinais de telecomunicações por longas distâncias. Para isso, são instalados no assoalho oceânico.

 

Esses cabos recebem proteção mecânica adicional para que sejam instalados sob a água: normalmente, têm interior de aço e isolamento especial. Eles podem ser metálicos, coaxiais ou ópticos — os mais utilizados atualmente.

Para conhecer mais sobre o funcionamento e importância dos cabos submarinos, confira o especial preparado pelo Olhar Digital.

 

 

Em janeiro a Harley-Davidson realiza o HD21, evento on-line que vai revelar suas novidades para a linha 2021. Será a primeira apresentação virtual da marca em seus mais de 100 anos de história, e ela será comandada por Jason Momoa, ator de Game of Thrones e entusiasta das motocicletas da Casa de Milwaukee.

BANNER LATERAL

,

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Fique por dentro do que acontece em COTIA, BARUERI, ITAPEVI, IBIÚNA, VARGEM GRANDE PAULISTA E NO BRASIL.

Siga-nos!