Quinta, 28 Outubro 2021

Notícias de Saúde

Com taxa de transmissão do coronavírus em alta, Brasil segue sem plano para vacina

Clarice Cardoso, do UOL, em São Paulo

 

Depois de anunciar ontem um retrocesso de todo o estado de São Paulo para a Fase Amarela do Plano São Paulo, o governador João Doria (PSDB) participou hoje e uma reunião virtual com 62 prefeituras dos municípios do estado que têm apresentado, desde novembro, índices mais preocupantes em relação à covid-19.

Enquanto a taxa de transmissão do novo coronavírus ainda é considerada alta e preocupa especialistas, segue o dilema brasileiro a respeito de qual vacina será adotada no Brasil e a partir de quando. Secretário de Vigilância em Saúde do Ministério da Saúde, Arnaldo Medeiros, Secretário de Vigilância em Saúde do Ministério da Saúde, disse hoje que o plano de vacinação contra a covid-19 só ficará pronto e fechado quando a vacina estiver registrada na Anvisa. O governo tem adiado com frequência a divulgação desse planejamento.

Por conta de questões logísticas no armazenamento da vacina desenvolvida pela Pfizer — conforme o UOL publicou em reportagem de Guilherme Castellar, ela exige temperaturas entre -20ºC e -70ºC, encontrada apenas em freezers de laboratório — o Ministério da Saúde informou que o imunizante não deve ser aplicado no país.

Medeiros, afirmou também que é desejável que a vacina seja aplicada em uma única dose, o que não é o caso de pelo menos 3 das quatro vacinas em teste no país (a de Oxford, a Coronavac e a da Pfizer). A belga Janssen ainda avalia a quantidade de aplicações necessárias (se 1 ou 2).

Em dez dias, o STF (Supremo Tribunal Federal) começará a debater no plenário virtual da corte o julgamento de duas ações que discutem a obrigatoriedade da vacinação — a sessão ocorre até 18 de dezembro. O presidente Jair Bolsonaro (sem partido) tem defendido que a vacinação não deve ser obrigatória.

Fique por dentro do que acontece em COTIA, BARUERI, ITAPEVI, IBIÚNA, VARGEM GRANDE PAULISTA E NO BRASIL.

Siga-nos!